quinta-feira, 4 de maio de 2017

Me deixa.

Me deixa dançar em paz. Me deixa cantar até perder a voz. Me deixa desiludir o silêncio e berrar mais uma vez que no meu peito cabe sempre mais um.

Sou de lua, fria e só. Sou de fogo, exagerada, sem dó.

Busco nos livros encardidos da minha estante uma resposta plausível pras suas perguntas. Em vão. Até agora eu não entendi o que você quer. Eu sei o que eu quero. Tenho muitos problemas na cabeça e eu só queria sorrir sem fazer tanto esforço.

Não ancora no meu coração que eu sou de vento e logo logo partirei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Confabulatório.